domingo, 19 de outubro de 2008

Poluição


Gente que caga no rio

Tem que tomar atenção
O povo de boca fechada
Não engole cagalhão!

Sítio melhor pra cagar
Tem um nome que ressoa
Não fica tão longe assim
Acertaram, é Lisboa!

A esta pequena charada
Chamei eu poluição
Podia chamar outra coisa
Nunca resignação!

Um poema completo
Tem um final feliz
Assim para terminar
Tapem o vosso nariz!

Fiquem bem!

3 comentários:

Bernardo Moura disse...

eheheheheh
ca fixe!
:)

Vício disse...

pode-se dizer que é um poema de merda...

Joaninha disse...

grande poeta!

beijos